Desfile leva milhares de pessoas ao centro da Covilhã

450 desfilantes de nove associações em um carnaval colorido e animado Sol e temperatura elevada

Desfile leva milhares de pessoas ao centro da Covilhã
Desfile “Carnaval do Mundo”. FOTO: Aline Grupillo

450 desfilantes de nove associações em um carnaval colorido e animado

Sol e temperatura elevada para o inverno. O clima favoreceu o desfile do domingo, do Carnaval na Neve e deu um brilho diferente aos fatos dos 450 desfilantes que levaram muita criatividade e alegria para as ruas do centro histórico do concelho.

O desfile “Carnaval do Mundo” teve sua concentração no Campo das Festa. Já alí, era possível observar os pormenores dos disfarces, confeccionados durante meses pelos integrantes das associações. Um dos mais coloridos, o fato “Doçuras do Carnaval”, trazia também pipocas e gomas distribuídas ao público ao longo do desfile. Tudo organizado pela Associação Desportiva e Cultural dos Penedos Altos.

Doçura do carnaval leva pipoca e gomas para o público

De lá, a animação seguiu pela Avenida Frei Heitor Pinto e Rua Comendador Campos Melo até chegar à Praça do Município. No percurso, milhares de covilhaneses e turistas acompanharam a passagem dos desfilantes. Com o telemóvel a registar tudo de perto, alguns arriscaram o palpite e votaram nos fatos mais bonitos. Um dos mais bem elaborados foi o da Associação Desportiva e Cultural de Orjais, com o tema Moulin Rouge. As desfilantes vestiam plumas e nos pés, sapatilhas vermelhas com bolinhas pretas no melhor estilo do Cabaré tradicional.

Voto popular vai para Moulin Rouge da Associação Desportiva e Cultural de Orjais

Ao todo, nove associações desfilaram no carnaval da Covilhã. À frente vinham “As Bahianas” do Grupo Recreativo Vitória de Santo António, que representou figuras conhecidas do Brasil, entre elas as mães de santo e o malandro carioca.

A cantora e atriz brasileira, e de nacionalidade portuguesa, Carmen Miranda, foi uma das principais homenageadas da festa. As referências à artista que fez história na década de 1930 e foi considerada a 15ª maior voz da música brasileira pela revista Rolling Stone, apareceu também nos fatos da Banda da Covilhã. O grupo encheu as ruas de alegria e de um colorido muito característico do carnaval do Brasil.

O que é que a baiana tem?

Dois grupos escolheram as personagens do universo infantil para desfilar. Com um carnaval temático no “Mundo Encantado”, o CCD Oriental de São Martinho veio com 70 figurantes e deu a conhecer heróis, príncipes, princesas e raínhas do gelo.

De modo semelhante, “O Mundo de Walt Disney”, do Grupo Instrução e Recreio do Rodrigo mostrou símbolos como o rato Mickey e seus amigos Minnie, Donald, Margarida e Tio Patinhas. Esta foi a segunda participação do grupo que, desta vez, trouxe uma coreografia bem ensaiada ao carnaval da Covilhã.

O clima e a importância da preservação ambiental foram levados pelo Agrupamento 1304 do Corpo Nacional de Escutas através do tema “Cultura índia”. Os desfilantes passaram com dois cavalos reais e desenvolveram uma dança que procurava chamar à atenção do público para as culturas que conseguem a integração do homem com o meio ambiente.

Carnaval é coisa séria

Com fatos diferentes, mas com uma preocupação parecida, a Academia Sénior da Covilhã – Associação Cultural de Jubilados da Beira Interior, fazia alusão ao mundo coberto pela neve e pelo gelo. “Quando o mundo virar gelo” questionava: que tipo de criatura nele irá habitar? Seres fantasiosos e andróginos brilharam no carnaval desta equipa.

Fechando o desfile, a irreverência da Associação de Bombos Toca a Bombar. Os desfilantes representaram os personagens da série espanhola La Casa de Papel com a cara coberta pela máscara do pintor Salvador Dalí. Na cintura, muitos traziam um cinto de “bombas” feito à base de latas de cerveja e refrigerante. Para completar a criatividade, o Toca a Bombar jogou pequenas notas de papel simulando euros para o público.

Toca a Bombar: bombas e armas de alegria

Para a muída, Ana Pilar, que já havia desfilado com as crianças e agora acompanhava o Carnaval do Mundo com o pai, o brilho dos fatos que representavam borboletas foi o melhor da festa. Apaixonada pelo carvanal, a menina de sete anos resumiu: “é animativo e muito giro”.

A paixão pelo carnaval não tem idade

Veja as fotos do desfile

Aline Grupillo

Jornalista com 20 anos de experiência em jornalismo televisivo no Brasil. E-mail: jornalismo@redevivacidade.com