Dicas, homenagens e expectativas de cultura

Coluna homenageia artistas e fica de olho nos lançamentos do ano

17 de Abril de 2020
Dicas, homenagens e expectativas de cultura

Dois grandes artistas brasileiros morreram estra semana e foram homenageados pela Coluna VivArte. Nas dicas de cinemas, comentamos um impacto do coronavírus, os adiamentos.

Ouvir > Moraes Moreira – discografia completa

Por Giovanni Ramos

Antônio Carlos Moraes Pires é o nome de batismo de Moraes Moreira, um dos grandes nomes da música popular brasileira, que nos deixou no dia 13 de abril aos 72 anos, vítima de um infarto. Moraes Moreira iniciou a carreira com o grupo Novos Baianos, sucesso dos anos 70 (até hoje, na verdade) e logo seguiu uma vitoriosa carreira solo.

Baiano de Ituaçu, aprendeu violão com outro gigante da música popular brasileira, o também baiano Tom Zé, que afirmou recentemente que só precisou de quatro meses para ensinar tudo que sabia e que seu discípulo logo o superou.

O primeiro dos 28 álbuns do cantor saiu em 1975. Seguidor de João Gilberto, grande expoente na Bossa Nova, ficou conhecido também por ser um dos pioneiros dos trio elétricos no carnaval de Salvador.

O Novos Baianos, grupo no qual ganhou exposição, havia voltado aos concertos regulares desde 2015 e ainda não decidiu o que fará com após a morte de um dos seus fundadores.


Ler > Rubem Fonseca – Feliz ano novo

Por Giovanni Ramos

Outro grande artista brasileiro morreu nesta semana e merece ser recomendado pela coluna VivArte. Trata-se do escritor Rubem Fonseca, considerado um doas maiores contistas brasileiros, que morreu no dia 15 de abril.

Uma das obras mais famosas do autor é a coletânea de contos, Feliz Ano Novo, publicada originalmente em 1975, mas censurada no Brasil no ano seguinte, por ordens do Ministério da Justiça da ditadura militar. Publicado em países europeus em seguida, Fonseca só conseguiu republicar a obra no seu país em 1989.

Feliz Ano Novo são 14 contos, a maioria sobre questões relacionadas à violência do Brasil, problemas familiares e questões sociais.

(esperar para) Ver > Viúva Negra

Por Aline Grupillo

Não é propriamente uma dica, mas o impacto do Covid em um dos mais esperados filmes do ano: Viúva Negra.

A estreia em Portugal era esperada para o dia 30 deste mês, mas a pandemia do coronavírus forçou Hollywood a deixar “Viúva Negra” em quarentena. O filme, que marca a volta da atriz Scarlett Johansson aos grandes ecrãs, é realizado por Cate Shortland e tornou-se uma das principais apostas do Universo Cinematográfico da Marvel (UCM) para 2020.

Viúva Negra é descrito como um thriller cuja trama andará a volta dos eventos de “Capitão América: Guerra Civil” (2016) e “Vingadores: Guerra Infinita” (2018). O filme parece cercado de cuidados, inclusive quanto à sinopse oficial, que ainda não foi divulgada.

Embora coloque a personagem Natasha Romanoff (Viúva Negra) como protagonista nos filmes de super-heróis, a película acaba por se tornar o maior hiato do ano da UCM e deverá ocupar o lugar de “Os Eternos” nas salas de cinema já que este último também foi adiado e só deve entrar no circuito cinematográfico em 2021.

A estreia de Viúda Negra está planeada agora para o mês de novembro, mas tudo deverá depender do comportamento da pandemia até lá. Os fãs são muitos, em todo o mundo, mas não são os únicos a lementar as mudanças nos calendários. A própria Disney também divulgou o adiamento de quatro filmes previstos para 2020: “The Personal History of David Copperfield” (Idem – 2020), “A Mulher na Janela” (Woman in the Window – 2020), “Os Novos Mutantes” (The New Mutants – 2020) e “Espíritos Obscuros” (Antlers – 2020).

Enquanto os amantes dos super-heróis aguardam, fica o trailer de Viúva Negra para aumentar as expectivas!