Desconfinamento

As esplanadas estão de volta às cidades

Na retoma de cafés e restaurantes, espaços abertos são apostas dos estabelecimentos.

As esplanadas estão de volta às cidades
FOTO: Giovanni Ramos

Bares, cafés, restaurantes podem reabrir e retomar suas atividades. Escolas também reabriram, assim como museus e o comércio de rua com espaços de até 400 metros quadrados ou que consigam reduzir o espaço a este tamanho.

Na Covilhã, a retoma dos estabelecimentos teve uma aposta maior nas esplanadas, que é uma recomendação da Direção Geral de Saúde. O clima colabora com sol e temperaturas acima dos 20 graus, algo que deve continuar por toda a semana.

Para o Tiago Pinto, gerente de um café junto à Praça do Município, ainda é cedo para saber como será a movimentação. O público, para ele, ainda foi pequeno no primeiro dia pois “as pessoas ainda estão receosas em sair, frequentar locais públicos”.

Em outro café e restaurante na mesma zona, a movimentação na esplanada foi considerada positiva neste primeiro dia. O gerente Miguel Morais conta que investiu em pequenas ações para deixar o estabelecimento totalmente adequado à nova realidade.

“Nosso horário é um pouco menor que antes da pandemia, fechamos um pouco mais cedo. Mas a nossa esplanada esteve cheia e sabemos que nos primeiros dias será assim”, comenta Morais.

Em outro café junto ao Jardim Público, a esplanada sempre foi o forte, mas para enfrentar os dias que seguem, os donos readequaram o espaço com a colocação de um balcão no exterior. A estrutura interna também foi alterada para que o cliente possa ser atendido às mesas e tenha mais facilidade de fazer pagamentos mantendo certa distância de outras pessoas.

“Sabemos que o público será menor nos primeiros dias. Sabemos que muitos perderam rendas neste período, que estão sem poder frequentar os cafés. Temos que nos adaptar ao novo momento”, declara a gerente Cristina Gonçalves Rico.

Nos cafés em torno da universidade, a preocupação é um pouco maior. Proprietário de um bar próximo ao Polo Principal, Jorge Carriço destaca que a maior parte dos clientes é estudante e que UBI continua praticamente encerrada.

Além disso, os estabelecimentos precisam seguir uma série de diretivas da Direção Geral de Saúde e só podem funcionar até às 23h. Confira abaixo, as principais medidas.

Regras gerais

  • Elaborar um Plano de Contingência específico para a Covid-19
  • Reduzir a capacidade máxima do estabelecimento (interior e esplanada) para garantir o distanciamento
  • Privilegiar esplanadas e take away
  • Distribuir mesas em forma diagonal e colocar clientes lado a lado somente com distância de dois metros
  • Privilegiar reservas de lugares
  • Evitar clientes em pé e buffets
  • Garantir álcool gel e produtos de higiene para todos no estabelecimento
  • Desinfetar os lugares ao menos seis vezes ao dia
  • Higienizar instalações sanitárias ao menos três vezes ao dia
  • Optar por ementas que não precisam ser manipuladas pelos clientes
  • Preferência por pagamentos que não impliquem contato físico

Giovanni Ramos

Pesquisador de media regionais, atua no jornalismo desde 2005. E-mail: web@redevivacidade.com