literacia mediática

Viva Covilhã adere à campanha contra fake news e boatos do Covid-19

Iniciativa é do Re/media.Lab, projeto de investigação da UBI

Viva Covilhã adere à campanha contra fake news e boatos do Covid-19
Campanha do Re/media.Lab

A desinformação não é um vírus, mas a proliferação de notícias falsas e boatos sobre a Covid-19 ocorre de forma pandêmica e também causa prejuízos a sociedade. O Viva Covilhã decidiu aderir à campanha contra fake news do Re/media.Lab – Laboratório e Incubadora de Media Regionais da Universidade da Beira Inteior.

Com foco nos media regionais, o Re/media.Lab vem alertando sobre a importância do fortalecimento dos jornais, meios digitais e rádios locais no combate à desinformação. Antes mesmo das medidas mais restritivas em Portugal, já havia boatos sobre um número maior de infetados, inclusive em Covilhã, que até o momento da publicação desta notícia, não registou nenhum morador com o vírus.

O Viva Covilhã entrevistou Pedro Jerónimo, investigador do Re/media.Lab, para comentar a campanha. A entrevista está disponível em áudio, abaixo.

Um dos pontos abordados pelo investigador é a proliferação de fake news por aplicações como o Whatsapp, que começa a ganhar força em Portugal. Boa parte dos conteúdos falsos é feita em áudio, com supostos médicos a alterar os dados sobre a disseminação da doença no país.

Rende credibilidade o facto de haver alguém que, supostamente, se chama João ou se chama Maria, e tem uma voz, é alguém a falar. O que nós queremos fazer é reforçar esse alerta. Verifique a informação, não vá atrás de boatos, confie na informação oficial…pesquise…, afirma Jerónimo.

Giovanni Ramos

Pesquisador de media regionais, atua no jornalismo desde 2005. E-mail: web@redevivacidade.com