Força-tarefa para acolher filhos dos profissionais de saúde e da segunça

100 escolas da região Centro ficam de portas abertas Eles deverão estar à linha de

Força-tarefa para acolher filhos dos profissionais de saúde e da segunça
Creche na Covilhã acolhe crianças até os 3 anos. FOTO: Aline Grupillo

100 escolas da região Centro ficam de portas abertas

Eles deverão estar à linha de frente quando solicitados para o combate ao Coronavírus, mas os trabalhadores de serviços especiais têm uma preocupação adicional: com quem deixar os filhos para servir à comunidade na luta contra o Covid-19?

Para atender à tais necessidades, foram aprovadas regras específicas de apoio aos profissionais de saúde, das forças e serviços de segurança e de socorro, na eventualidade de serem mobilizados para o serviço ou prontidão, impedindo o acompanhamento dos seus filhos ou outros dependentes. Entre os beneficiários da medida estão bombeiros voluntários, e das forças armadas, os trabalhadores dos serviços públicos essenciais e de gestão e manutenção de infraestruturas essenciais, entre outros.

Na Covilhã, esses trabalhadores poderão recorrer à creche Mundo da Fantasia, da Santa Casa da Misericórdia, para o acolhimento das crianças com idade igual ou inferior a 3 anos. Em casos urgentes, as Entidades podem contactar diretamente a creche por meio do número de telemóvel 964 120 361.

Ainda no âmbito das medidas que suspenderam as atividades letivas presenciais face à situação epidemiológica,  a Escola Pêro da Covilhã foi escolhida para acolher os alunos cujos encarregados de educação sejam trabalhadores de serviços especiais. Para o efeito, foram solicitadas informações sobre necessidades efetivas de acolhimento às Entidades empregadoras.

Em toda a região Centro, 100 escolas foram disponibilizadas para receber os filhos dos trabalhadores de serviços especiais. Confira a lista aqui.

Aline Grupillo

Jornalista com 20 anos de experiência em jornalismo televisivo no Brasil. E-mail: jornalismo@redevivacidade.com