Os chefs de quarentena

14 de Abril de 2020

Por Giovanni Ramos
Co-criador do Viva Covilhã

Netflix, HBO, Spotify, livros, cursos online e muitas conferências no Zoom. Aqueles que têm o privilégio de estarem tranquilos na quarentena estão cansados de consumir esses produtos, de tanto que abusamos nas últimas semanas. Mas além dos produtos culturais digitais, há um outro elemento em evidência nos dias atuais: a gastronomia.

O instagram já tinha seu ares de Masterchef há muito tempo, mas depois da quarentena, eis que todos viraram cozinheiros. Sim, estamos muito mais tempo em casa, não podemos ir a restaurantes, mas podemos pedir comida. E não somos obrigados e revelar nossos dotes culinários (ou a falta deles) nas redes sociais.

De comidas simples a sofisticadas, os stories do instagram nunca foram tão gastronómicos. E na nossa Covilhã, meio provinciana, meio cosmopolita, é possível ver a receita de pratos que você nem sabia que existia. Na maioria das vezes, dá água na boca acompanhar esses stories. Em alguns casos, nem tanto.

Foto de banco de imagens para fingir que as comidas que preparamos são assim. FOTO: Imagem de Oldmermaid por Pixabay

Fico curioso em saber o que ficará depois da quarentena com os nossos chefs amadores do instagram. Será que o gosto pela cozinha vai prevalecer ou tudo volta a ser como antes? Será que as pessoas que mal sabiam cozinhar um macarrão, agora chefs por circunstâncias, irão manter os novos hábitos?

Será que o gosto de cozinha, aliado ao prazer imensurável de fazer compras em um supermercado após o pagamento, vai afetar o setor de restauração. Os estudantes da UBI que não retornaram aos seus concelhos de origem vão ignorar as cantinas da universidade depois que elas reabrirem em sua totalidade?

A partir do que vejo aqui, das minhas mãos, não! Não que eu seja um desastre na cozinha, mas tenho saudades em deixar alguns euros em alguns restaurantes e bares da Covilhã. Sei que posso pedir alguns deles por esses aplicativos de comida, mas existe toda a mágica de comer fora, principalmente para cronistas amadores como eu, que preservam a beleza e o charme das tascas.

Enquanto isso, vamos bancando os chefs dos instagram….