Re/media.Lab apresenta propostas para os media regionais

Projeto da UBI divulgou medidas em conferência de imprensa Quais as medidas devem ser tomadas

Re/media.Lab apresenta propostas para os media regionais
FOTO: Giovanni Ramos/Viva Covilhã

Projeto da UBI divulgou medidas em conferência de imprensa

Quais as medidas devem ser tomadas pelo governo para auxiliar os media regionais a enfrentar a crise na comunicação? O Re/media.Lab – Laboratório e Incubadora de Media Regionais da Universidade da Beira Interior apresentou na segunda-feira (25), 15 propostas que o governo pode aplicar para auxiliar a imprensa regional.

Investigador responsável do Re/media.Lab, o professor João Carlos Correia explicou a importância do tema – desde a crise nos modelos de negócios dos jornais ao interesse do presidente da República no tema. Para o investigador, o crescimento das chamadas fake news reforça a necessidade da sociedade discutir a sustentabilidade dos media profissionais.

A conferência de imprensa foi um ato posterior a visita da Associação Portuguesa de Imprensa (API) ao Re/media.Lab. A API se reuniu recentemente om a Secretaria de Estado do Cinema, Audiovisual e Media para tratar do financiamento público aos órgãos de comunicação.

Em funcionamento desde 2018, o Re/media.Lab é o único projeto académico ativo em Portugal que trata sobre a imprensa regional. O projeto é dividido em três partes: observatório da imprensa da Região Centro, laboratório para novas práticas no jornalismo (formatos, públicos, conteúdos) e incubadora para o surgimento de novos órgãos de comunicação social na região.

O Viva Covilhã é o primeiro projeto associado ao Re/media.Lab a ganhar forma.

As propostas do Re/media.Lab

01. Oferecer a todos os jovens que atingem os 18 anos ou estudantes, bem como à população sénior, uma assinatura anual de um jornal generalista (nacional ou local) à sua escolha (papel ou online). Pode estar associado aos cartões de estudante e sénior.

02. Obrigar todos os organismos públicos (dos nacionais aos locais) com atendimento ao cidadão a disponibilizar dois jornais generalistas (nacional e local) nos espaços de espera (papel e online).

03. Incluir nos contratos de concessão de transportes públicos a obrigatoriedade do concessionário disponibilizar jornais generalistas em papel nos autocarros/carruagens e/ou rede wi-fi com acesso livre a sites de jornais.

04. Distribuir 10% do valor da taxa turística de cada cidade aos jornais locais.

05. Criar uma taxa anual “Contribuição Jornalismo” (idêntica à Contribuição Audiovisual na fatura EDP), a ser paga por todos os assinantes de Pacotes de Internet. Também se pode pensar na sua canalização para distribuição postal.

06. Alterar a Lei da Cópia Privada, aumentando e repartindo a taxa aplicada a smartphones e tablets com as empresas de comunicação.

07. Aumentar o Porte Pago, com majoração para o Interior e regiões periféricas, de acordo com critérios objetivos a estabelecer (capitação, capitação da leitura, etc).

08. Deduzir, ao nível fiscal, quem compre / subscreva assinaturas.

09. Incentivar a qualidade com diversas sub-medidas.

10. Incluir módulos de literacia mediática e educação para os media no sistema de ensino, em contexto informal e de sala de aula, nos quais surjam jornais (nacionais e locais). Associado a esta questão, promover a criação de jornais escolares.

11. Criar coletivos que exerçam uma função de provedoria e de observatório, juntando jornalistas e cidadãos.

12. Criar medidas de proteção de direitos, no que respeita à propriedade e partilha pelas redes sociais de conteúdos jornalísticos.

13. Colocar a informação na moda (campanhas bem-feitas, atraentes, com conteúdos e em plataformas adequadas ao público-alvo).

14. Introduzir medidas de apoio à partilha de recursos pelos media regionais, através de mecanismos colaborativos e cooperativos.

15. Repensar e relançar o Portal da Imprensa Regional, com o objetivo de ter estes meios online e acessíveis através de dispositivos móveis. Esta é uma medida que visa permitir a todos os media regionais e locais que o pretendam, a possibilidade de estarem acessíveis no contexto digitais.

Giovanni Ramos

Pesquisador de media regionais, atua no jornalismo desde 2005. E-mail: web@redevivacidade.com