VivArte #13 – Oscar e as artes cinematográficas

Coluna de dicas culturais da semana é dedicada à sétima arte Na segunda-feira (13), a

VivArte #13 – Oscar e as artes cinematográficas
FOTO_ Freepik

Coluna de dicas culturais da semana é dedicada à sétima arte

Na segunda-feira (13), a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood divulgou a lista de nomeados ao Oscar 2020. E para comentar o assunto, a Aline Grupillo conversou com o professor Francisco Merino, do curso de Cinema da Universidade da Beira Interior. Nas dicas culturais, apresentamos obras que têm o cinema como tema principal.

Ver > Magnífica 70 da HBO

Por Giovanni Ramos

O cinema brasileiro possui diversas fases e momentos ao longo do século XX. Um dos fenómenos mais conhecidos é o da “Pornochanchada”, um género que ficou popular na década de 70, em plena ditadura militar, que misturou humor e erotismo em filmes, em sua grande maioria, com baixo custo de produção.

É neste contexto de ditadura e pornochanchada que a série Magnífica 70 da HBO conta sua história. O protagonista da série é Vicente dos Reis, um pacato cidadão que trabalha no departamento de censura da ditadura com a responsabilidade de escolher quais filmes podem ser exibidos.

Vicente acaba por se envolver com produtores de cinema da Boca do Lixo, uma região no Centro da cidade de São Paulo que ficou famosa na década de 70 por ser a sede das produtoras dos filmes da pornochanchada. O envolvimento faz despertar o lado cineasta de Vicente.

Elogiada pela crítica brasileira e também americana, Magnífica 70 parece tratar, em um primeiro momento, da ditadura militar, mas o período autoritário é apenas o pano de fundo para uma história sobre como é produzir cinema no Brasil com poucos recursos.

Magnífica 70 tem ótimas atuações, roteiro bem feito e toda a história é contada em três temporadas (todas disponíveis). A série está na HBO Portugal.

Ouvir > Trilha de Black Panther

Por Maurília Gomes

Black Panther (2018) foi o vencedor dos prémios de Melhor Banda Sonora no Oscar e no Grammy de 2019. Realizado por Ryan Coogler, o filme inspirado na banda desenhada do super-herói de mesmo nome da Marvel Comics, que tem o ator Chadwick Boseman como protagonista T’Challa/Pantera Negra, foi um sucesso de crítica e de público.

Instigante, ousado e cheio e experimentações, Black Panther – The Album foi lançado junto com o filme em todas as plataformas digitais e foi, logo na estreia, para o topo da lista Billboard 200. O afro-futurismo do filme aclamado pela crítica está refletido também no disco que possui uma incrível variação de sonoridades.

Sob o comando do rapper Kendrick Lamar, produtor e curador, o álbum de 14 faixas varia do soul aos cantos e ritmos africanos, apesar de uma forte presença do rap. Conta ainda com a participação de artistas como SZA, 2 Chainz, James Blake, The Weeknd, Travis Scott, Swe Lee e Vince Staples. Destaque para parcerias de Kendrick Lamar com The Weeknd na faixa Pray For Me e com SZA em All The Stars – a faixa mais badalada, cujo videoclipe é uma obra de compilação visual da proposta afro-futurista do álbum e do filme, traz um arranjo interessante e a voz poderosa da cantora de r&b.

O subtexto é outro diferencial desta banda sonora que traz as tensões sociais e o ativismo de Kendrick Lamar para suas faixas, sejam rap ou pop. Por último, destaco a canção Seasons que é uma verdadeira viagem às sonoridades do continente africano, na voz do rapper sul-africano Sjava em parceria com os californianos Mozzy e Reason. Só ouçam!

Giovanni Ramos

Pesquisador de media regionais, atua no jornalismo desde 2005. E-mail: web@redevivacidade.com