VivArte #3 – Outono chegou

  •  
  •  
  •  
  •  

O outono chegou de verdade e com uma exposição na Bibiloteca Central da UBI, o VivArte apresenta as dicas para o final de semana.

E confira as nossas dicas do que ler/ver/ouvir em:

Ler > Barba ensopada de sangue

Por Giovanni Ramos

A misteriosa morte do seu avô no passado faz um professor do desporto trocar uma grande metrópole no Sul do Brasil por uma pequena aldeia no litoral, onde seu avô morava. A medida que o protagonista começar a viver a cidade onde seu avô morava, ele começa a juntar as peças para entender a tragédia do passado.

Barba Ensopada de Sangue é a obra de maior repercussão do escritor brasileiro Daniel Galera, um dos nomes da nova geração de escritores brasileiros. Em uma narrativa em primeira pessoa, Galera descreve os detalhes da cidade onde ocorre a história e reconstói o passado de uma forma brilhante.

O protagonista da história, que não possui um nome e tem dificuldade de reconhecer os rostos dos outros personagens, é bem construído, mas os detalhes que envolvem a morte do avô são o ponto alto do romance.

ONDE ENCONTRAR > Livraria Betrand

Ver > The Boys (SEM SPOILER)

Por Fábio Jardelino*

Na última década vimos uma explosão de filmes e séries de super-herói no cinema e em plataformas de stream online. Não por acaso, Vingadores: Ultimato, produzido pela Marvel Studio, se colocou como o filme de maior bilheteria da história do cinema, ultrapassando grandes produções como Avatar e Titanic. Mas, dentre todo esse universo fictício dos heróis, uma série em particular me chamou a atenção, principalmente por sua característica violenta e realista – The Boys – disponível na Amazon Prime.

A série lançada esse ano, 2019, é na verdade baseada na Graphic Novel, de mesmo nome, publicada pela Dynamite Entertainment entre os anos de 2006 e 2008. De fato o enredo da série é bem simples: como seriam os heróis se eles realmente existissem no nosso mundo? Pode parecer uma pergunta fácil de responder, porém não é. Imagina, por exemplo, que um herói com poderes iguais ao Superman (ou seja, quase invencível), decidisse tomar o poder e reinar no planeta como um tirano?

Realmente essa temática já foi abordada em outras histórias de super-herói, como por exemplo, Batman vs Superman. Nessa, o morcego decide que o Superman é muito poderoso para viver em harmonia com os humanos e decide matá-lo, isso até entender que ele é na verdade mais humano que muitos humanos. Outra história icônica seguindo essa temática é Watchmen, onde o herói Dr. Manhattan é a personificação de um Deus e mesmo assim ele permite a extinção de metade do planeta pelas mãos do “vilão” Adrian Veidt, ou Ozymandias.

Mas então, não sendo nada totalmente original, por que assistir The Boys? Minha principal resposta é: pela extrema realidade que ela trás. Em todas essas outras histórias, a dimensão em que essa narrativa acontece não é a nossa. Não é o nosso mundo ali retratado, nossa realidade. Mas The Boys faz questão de trazer todos os minúsculos detalhes do nosso mundo para a série. Desde o vício em drogas (enfrentado por um dos heróis), até o estupro (cometido por outro).

É uma série onde os heróis são confrontados diariamente com a hipocrisia da nossa sociedade, muitas vezes cedendo a elas. Mas, principalmente, onde o estado de pós-verdade em que vivemos atualmente fica tão claro quanto possível.

*Fábio Jardelino é Jornalista, Pós-graduado em Cinema e Doutorando em Comunicação

Onde ver: Amazon Prime

Ouvir > …Like Clockwork – Queens of the Stone Age

Por Giovanni Ramos

No final da década passada, o cantor e compositor americano Josh Homme foi fazer uma cirurgia simples na perna, mas uma complicação pós-operatória quase o levou a morte. E foi a proximidade com a morte que inspirou Homme para lançar em 2012, o álbum que é considerado pela crítica o melhor da banda Queens of the Stone Age: …Like Clockwork.

Conhecidos por produzirem um rock mais divertido, os integrantes do Queens of the Stone Age leveram no …Like Clockwork um álbum triste, denso, sombrio e levemente depressivo. Porém, com músicas muito bem trabalhadas e diversas participações especiais como Alex Turner, do Artic Monkeys e Elton John, que levou seu piano a música Fairweather Friends.

Destaca-se neste álbum a música Vampyre of time and memory, num ritmo próximo ao jazz, traz Josh Homme no piano e uma letra sombria como todo o álbum.

ONDE OUVIR: Spotify

 

Pesquisador de media regionais, atua no jornalismo desde 2005. E-mail: web@redevivacidade.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *